Hoje completam 20 anos do primeiro título de Ayrton Senna, vi esta matéria no BOL Notícias e reproduzo integralmente abaixo. No final adicionei um vídeo para vocês se emocionarem um pouco mais.

Por pouco tudo não foi por água abaixo. Logo na largada do GP do Japão de F-1, no dia 30 de outubro de 1988, há exatos 20 anos, o pole position Ayrton Senna, que só precisava de mais uma vitória para ser campeão, restando duas provas para o final, viu seu carro morrer. O brasileiro fez sua McLaren "pegar no tranco" e chegou a cair para a 14ª posição.


Se a situação era difícil, a recuperação foi fantástica. O piloto do carro de número 12 foi subindo de posição volta a volta, ultrapassando os carros um após o outro. Contou também com a aparição de uma fraca chuva, suficiente para molhar a pista e fazer com que a vantagem de Alain Prost na liderança diminuísse. Na abertura da 27ª volta, o francês se atrapalhou com alguns retardatários. Senna deu o bote para chegar à ponta. E dali não saiu mais.

Venceu a corrida e conquistou o primeiro de seus três títulos mundiais. Mais do que isso, Senna iniciou em 30 de outubro de 1988, com a sofrida vitória em Suzuka, a criação de uma verdadeira mitologia em torno de sua figura. Tornou-se ídolo no Brasil e fora do país. Referência para pilotos e fãs, dentro das pistas e fora delas. Um dos maiores esportistas da história.

Na volta final do GP do Japão, na curva antes da reta dos boxes, Senna ergueu os punhos e teve a certeza de que sua 14ª vitória --a mais importante de sua carreira até então-- estava consolidada. Com ela, veio o fim da pressão de superar o então bicampeão Prost, que o próprio brasileiro considerava o melhor piloto do mundo na ocasião.


"Quanto mais difícil, melhor, mas não achei que tinha que passar por este sofrimento todo. Só Deus sabia que seria tão duro. Mas agora que acabou acho que foi melhor assim. Guiei o que podia e o que não podia. Foi a corrida da minha vida", sintetizou o brasileiro após a prova.

Alívio

O título de Senna em 1988 não representou apenas o ponto final de sua longa espera pela taça --era sua quinta temporada na F-1, a primeira com um carro capaz de ser campeão.


Foi também o final de um ano tenso, no qual o piloto passou por brigas e discussões com adversários e até mesmo a imprensa do Brasil --que repercutiu fortemente a troca de acusações entre Senna e Nelson Piquet, no início de 88.

"Foi um momento de extravasar a raiva e tensão que vivi neste ano todo e em minha carreira nos últimos anos. Consegui preencher um vazio dentro de mim, aquela ânsia, o desejo da vitória", disse o piloto da McLaren, após a conquista inédita.

Sem o peso de ter que ganhar seu primeiro campeonato da F-1, Senna voltou a disputar o título nos três anos seguintes --perdendo em 1989 e ganhando em 1990 e 1991.

Nessa época, já era considerado um dos maiores esportistas da história brasileira, contando com uma torcida fanática, que celebrou o mito Senna até depois de sua trágica morte, no GP de San Marino de 1994.

"Eu fui, até hoje, duro demais comigo mesmo e com as pessoas que fazem parte do meu meio ambiente. Sacrifiquei muita coisa em mim e agora quero compensar daqui para a frente", prometeu Senna, depois de escrever o seu nome, pela primeira vez, na lista de campeões mundiais da F-1.


Fonte: BOL Notícias



Agora chorem:




Homenagem do ArquivoAbrir ao nosso ídolo maior: Ayrton Senna da Silva.
Posts Relacionados



Compare Produtos, Lojas e Preços